Prevenção à dengue deve ser reforçada também em instituições de ensino

Brasília-DF, quarta-feira, 24 de abril de 2024


Brasília, terça-feira, 6 de fevereiro de 2024 - 17:6

Prevenção à dengue deve ser reforçada também em instituições de ensino

SAEP orienta cuidados redobrados em casa e em ambientes coletivos. Além de maior disseminação de informações sobre a doença

O ano iniciou com 40 mortes por dengue, 364.855 prováveis casos e 265 em investigação, de acordo com dados divulgados até a terça-feira (6). (Consulte aqui.) Estados como Acre, Minas Gerais, Goiás, Rio de Janeiro e Distrito Federal decretaram situação de emergência em saúde pública por conta da doença.

Em reflexo a essa medida, o SAEP acende sinal de alerta para toda a categoria a respeito dos cuidados preventivos para evitar contrair dengue.

“Acompanhamos com preocupação o avanço da dengue no Brasil. É uma doença que poderia ser evitada por medidas tão simples. Por isso, a responsabilidade é de todos. Toda a categoria deve se atentar aos cuidados básicos em casa e nas instituições de ensino onde trabalha. Vamos, juntos, preservar a saúde das nossas famílias, e também dos nossos alunos e companheiros de trabalho”, disse a presidente do SAEP, Maria de Jesus da Silva.

Para fevereiro, o Ministério da Saúde listou 521 municípios com alta incidência da doença para realizar, ainda nesta semana, a distribuição da vacina Qdenga.  A estimativa é, até o fim de 2024, aplicar 2 doses em cerca de 3,2 milhões pessoas.

 

Maiores taxas de hospitalização

Crianças e adolescentes têm apresentado maiores taxas de hospitalização. Por esse motivo, o grupo de 10 a 14 anos foi eleito para iniciar a imunização pelo SUS (Sistema Único de Saúde).

Por enquanto, a população fora dessa faixa etária não poderá ser vacinada pelo SUS. Mas há possibilidade de conseguir a imunização pela rede privada de saúde, a valor médio de R$ 400 cada dose. Além da Qdenga, a Dengvaxia também está disponível no mercado. Acima dos 60 anos, é necessário apresentar pedido médico.

Outra medida fundamental é com a higienização de locais de convivência. No período letivo que se inicia, espera-se que estudantes, professores e trabalhadores da educação passem boa parte do dia nas instituições de ensino. Por isso, é necessário que esses locais adotem campanhas preventivas.

“Reforçamos que educadores e profissionais da educação devem empregar todos os meios para combater a dengue no nosso País.  Façamos um esforço coletivo! Vamos redobrar a atenção em nossas áreas, orientar estudantes e funcionários e disseminar essas informações por meio de cartazes e na internet”, orienta a presidente do SAEP.

 

Cuidados

A dengue é arbovirose transmitida pelo mosquito Aedes Aegipty. A doença pode causar falta de apetite, vômito e diarreia, dor no corpo, como nas articulações, na cabeça e atrás dos olhos, manchas na pele, além de febre mais acentuada. Quadros clínicos mais graves podem causar hemorragias em órgãos com risco de morte.

Não existe medicação para curar a dengue, apenas para amenizar alguns sintomas. O recomendado é que a pessoa repouse e faça a ingestão de bastante líquido. Em caso de sangramentos, deve-se procurar o atendimento médico de emergência.

Não deve tomar a vacina contra a dengue quem tiver alergia a algum dos componentes ou tiver o sistema imunológico comprometido. O imunizante também não é recomendado para imunosuprimidos, gestantes e lactantes.

 

Medidas preventivas:

  • Ambientes limpos, arejados e sem acúmulo de água parada
  • Caixa d'água bem fechada
  • Calhas bem limpas
  • Sacos de lixo bem fechados
  • Areia em vasos de plantas
  • Não acumular sucata e entulho
  • Evitar garrafas e potes destampados com a boca virada para cima
  • Usar repelentes
  • Tela mosqueteira nas janelas
  • Havendo alta incidência, solicitar o fumacê








Últimas notícias

Notícias relacionadas



REDES SOCIAIS
Facebook Instagram

Sindicato dos Auxiliares de Administração Escolar em Estabelecimentos Particulares de Ensino no Distrito Federal

SCS Quadra 1, Bloco K, Edifício Denasa, Sala 1304,
Brasília-DF, CEP 71398-900 Telefone (61) 3034-8685
recp.saepdf@gmail.com